Enfrentando a prisão após caçar cogumelos mágicos

Paul Lee Corbett, morador de Washington, EUA, é um caçador de cogumelos mágicos de 63 anos com grande amor pela natureza. Entre 1968 e 1976, ele viveu, estudou e viajou entre o Noroeste do Pacífico, nas Rocky Mountains, e regiões do Alasca. Ele passou grande parte de sua vida no Alasca, onde sustentou sua família utilizando o ambiente que os rodeava. Ele utilizava redes e linhas para pesca, caçava seu alimento e cultivava seus vegetais. Além disso, é um amante de longas mochiladas entre o Alasca e a Colúmbia Britânica. “Eu amo a natureza e a paz de estar nela”, ele diz.

Enquanto explorava essas terras, Corbett ao mesmo tempo criou uma forte relação com o uso da paisagem através das substâncias enteógenas, como a cannabis, LSD, e cogumelos mágicos. Corbett conhece bastante, de fato, sobre cogumelos mágicos – e não somente por comer eles. Ele é um forrageador experiente com vasto conhecimentos sobre as diferentes espécies de cogumelos psicodélicos, que possuem uma diversidade de aproximadamente centenas de espécies, pertencendo a algumas dezenas de gêneros.

Ele dá crédito ao LSD em particular por ter “mudado sua mente em todas as direções” e libertado ele de seu vício em heroína. Mas os efeitos permanentes foram muito mais profundos. “Eu não  me sentia mais confortável nessa sociedade, os Estados Unidos, ou até mesmo qualquer sociedade”, ele diz. Após suas experiências com drogas, ele deixou os EUA, viajando para o norte antes de chegar no Alaska, recomeçando sua vida em localidades remotas.

Atualmente, Corbett está enfrentando uma possível sentença de prisão de cinco anos por posse de cogumelos que contém psilocibina. Em novembro de 2016, ele foi preso por coletar cogumelos mágicos no Cape Disappointment Park no estado de Washington. Ele viu o que parecia ser uma nova espécie não identificada de cogumelo mágico, coletando o espécime para análise posterior. Corbett alega inocência, argumentando que ele não cometeu nenhum crime e não feriu ninguém. Ele estava apenas exercendo sua curiosidade natural, ele disse.

Ele coletou os primeiros cogumelos mágicos nos arredores de Seattle em 1972. “Aquilo abriu meus olhos para as informações recentes sobre estação e localização, então eu me tornei curioso sobre aquilo”, ele contou. “Eventualmente eu encontrei outras espécies de Psilocybe. Uma vez que você encontra o cogumelo, você aprende sobre os outros cogumelos que crescem com ele, quais são os tipos de árvore, qual tipo de substrato eles se desenvolvem, seja ele grama ou casca de árvore. Os cogumelos o educam sobre o resto da floresta e do ambiente também”.

Corbett estava fazendo uma trilha no Cape Disappointment Park quando ele notou grandes cogumelos avermelhados em uma pilha de lascas de madeira, que para seu conhecimento, não eram identificadas. Um sinal próximo dizia: “Proibido coletar cogumelos: violadores sujeitos a processo criminal”. Corbett ignorou o aviso, surpreendido por sua descoberta. “Todo mundo que vai para lá pens que esses cogumelos são Psilocybe azurescens, mas eles não são. Eles são mais potentes como os “liberty caps”  (Psilocybe semilanceata), e são muito, muito bonitos. Mais perto, na grama, ele encontrou azurescens verdadeiros. Mais espécimes do cogumelo misterioso haviam surgido perto do local onde Corbett tinha estacionado seu caminhão.

cogumelos magicos psilocybe semilanceata

Cogumelos mágicos Psilocybe semilanceata

Os cogumelos estranhos, Corbett acredita, são uma sub-espécie – senão uma espécie totalmente diferente – de azurescens. “Eu os coloco junto pois eles são claramente diferentes, sem nenhum engano. Eles não se parecem nenhum pouco”. Após armazenar a sacola em seu caminhão, Corbett coloca mais 10 cogumelos em seu bolso, quando um guarda sai dos arbustos com uma arma apontada para a cara de Corbett.

O guarda olhou nos bolsos de Corbett em procura dos cogumelos, e então o algemou. Outro guarda logo chegou também. Corbett revelou calmamente onde os outros cogumelos estavam armazenados, e os oficiais revistaram seu veículo. Ele foi preso e então levado para a prisão local. Depois que a polícia chamou um juiz, eles foram aconselhados a libertar Corbett. Ele voltou para a costa de Washington para sua esposa, Joyce, que ele nunca pode deixar sozinha por muito tempo pela sua debilidade física.

Joyce, companheira de Corbett

Corbett foi acusado de posse de uma substância controlada, punida em Washington com até 5 anos de prisão e fiança de 10.000 dólares. Foi oferecida a ele um acordo de um ano de condicional com 15 dias na prisão, mas ele imediatamente recusou. “Joyce utiliza a cannabis medicinal para reduzir um quarto de sua medicação para a dor”, ele explica, “mas na condicional ela não poderia nem estar no mesmo local que eu”.

“Além disso”, ele adiciona (com um tom de enfado), “eu não cometi um crime. Não existe nenhum lado prejudicado envolvido no que ocorreu, somente Joyce e eu. De fato, durante minhas coletas, eu provavelmente salvei centenas de pessoas que eram realmente estúpidas”. Nem todas as espécies de cogumelos são seguras para o consumo, ele afirma. Através do conhecimento que ele obteve e compartilhou em uma longa jornada de forrageio, ele preveniu iniciantes de sofrerem possíveis efeitos colaterais fatais.

Corbett esteve na corte diversas vezes desde o incidente, mas o caso ainda não foi resolvido. Vinte e quatro horas antes de um de seus compromissos na corte, foi ordenado que ele deixasse sua esposa no hospital sob risco de desrespeito ao tribunal – apesar dos pedidos do doutor para que fosse feito o contrário – e dirigisse por 6 horas de Fort Townshend, sua residência, para comparecer à audiência.

Corbett foi fustrado pelo que ele considerou conselho insuficiente ou até mesmo contraprodutivo de seus advogados, que sugeriram a ele se declarar culpado. Eles se recusaram a discutir qualquer coisa relacionada a cogumelos ou enteógenos, e esperam que Corbett aceite a acusação e cumpra a pena. Mas ele está determinado a desafiar a lei e provar sua inocência.

Desde então ele despediu seus advogados e espera contratar um que represente melhor ele e sua situação única. Ele abriu uma campanha de arrecadação para custear as despesas legais e as despesas médicas de sua parceira.

Desde a prisão, Corbett e Joyce tem viajado por Washington, devido à uma recente hospitalização e cirurgia que Joyce foi submetida. Ele afirma que a pior consequência provável de sua convicção será deixar para trás sua parceira. “Nós estamos vivendo em um acampamento agora – que é muito bom – mas ela não é capaz de viver sozinha”. Ambos dependem da renda por invalidez, e não possuem dinheiro para aluguéis.

Corbett dá um suspiro profundo quando expõe essa situação. “Isso deve acabar. As pessoas precisam se educar. Minha esperança é educar toda a corte. É um mistério para todos nós o motivo desses cogumelos serem ilegais. E é um mistério para mim por que a palavra ‘liberdade’ não se aplica à minha curiosidade e uso enteogênico”.

Ele está inseguro do seu próprio destino, mas ele não perdeu a fé nas gerações jovens. “Eu tenho a esperança que a educação sobre essas substâncias enteogênicas possam nos auxiliar a mudar o mundo, pois estou preocupado com ele. Eu espero que esse novo movimento possa mudar as coisas. Então nós olhamos para tudo – cada um e a Terra – de um modo que seja mais cuidadoso e mais para o lado do amor.

“Eu acho que as pessoas realmente não conhecem os cogumelos e onde eles habitam. Eles vivem em lindos lugares, lugares incríveis. E novamente eles também nos seguem seja por onde formos. Eles querem estar conosco, e nos ensinar”.

Corbett retornará ao julgamento em novembro de 2017, depois de mais duas audiências programadas no outono.

Fonte

 

Obtenha mais conteúdo como esse

Inscreva-se em nossa newsteller e receba os novos posts em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − dezoito =